THE HOUSE OF SANDEMAN

MR. GEORGE SANDEMAN (CHANCELER OF CONFRARIA VINHO DO PORTO)

OVER MORE THAN TWO CENTURIES, SANDEMAN HAS BASED ITS SUCCESS ON A RARE CAPACITY FOR INOVATION COMBINED WITH A DEEP KNOWLEDGE TRANSMITTED FROM GENERATION TO GENERATION. TODAY, SANDEMAN IS THE MOST WELL-KNOWN SYMBOL OF PORT WORLDWIDE.

IT´S FOUNDER WAS GEORGE SANDEMAN, A YOUNG AND AMBITIOUS SCTOTSMAN FROM PERTH WHO LAUCHED IN 1790 A WINE BUSINESS IN LONDON. IN THE EARLY NINETEENTH CENTURY, THE SANDEMAN PORTS WERE BEING DISPATCHED TO MUTIPLE COUNTRIES IN EUROPE, NORTH AMERICA, SOUTH AMERICA, AFRICA, ASIA AND EVEN TO DESTINATION AS FAR AS NEW ZEALAND.

IN 1928, THE SCOTISH DESIGNER GEORGE MASSIOT BROWN, WORKING FOR LOCHEND PRINTING, CREATED FOR THE SANDEMAN BRAND A CONCEPT FOR A NEW POSTER. THE PAINTING FEATURED A MYSTERIOUS FIGURE THAT WOULD LATER BE NAMED “THE DON”- A SILHOUETTE DRESSED IN A PORTUGUESE UNIVERSITY STUDENT CLOAK AND WIDE-BRIMMED SPANISH HAT – AND REPRESENTED THE IBERIAN INDENTITY OF THE SANDEMAN WINES, PORT AND SHERRY.

WE HAD THE PLEASURE RO RECEIVE AT PORTO EXTRAVAGANZA, 2020, MR. GEORGE SANDEMAN, CHANCELER OF CONFRARIA VINHO DO PORTO – A JURASSIC MEMBER OF THE PORT TRADE.

IT WAS VERY PLEASANT TO HEAR AMAZING STORIES, COMMENTS. REAL KNOWLEDGE AND TO ADMIRE THE COMPANY´S PORPOSES.

WE TRIED FANTASTIC PORTS AND FOR THE FIRST TIME WE HAD THE CHANCE TO TRY OLD VINTAGES & OLD TAWNYS.

WE TRIED FOUR PORTS TAWNY WITH MENTION OF AGE (10,20,30,40 YEARS OLD). VIBRANT WINES WITH GREAT BALANCE, RIPE FRUIT, AGED INTENSITY, CONCENTRATED FRUIT AND FLAVOURS, GREAT COMPLEXITY…CREATING THIS UNIQUE AND OUTSTANDING AGED TAWNY PORTS.

QUINTA DO SEIXO VINTAGE PORT, SINGLE DATED. ALMOST OPAQUE DEEP RUBY COLOUR…THE AROMA FULL OF INTENSITY AND COMPLEXITY (BLACK AND RED FRUIT, SPICES AND HINTS OF BALSAMIC). HAS OPULENT ANF FIRM TANINS, WELL BALANCED ACIDITY WITH VIGOROUS AND LAYRED FINISH. TOP.

AN INCREDIBLE 1977 VINTAGE MAGNUM…STILL IN GREAT SHAPE! REDDISH WITH A LOT OF BALSAMIC AROMAS, TOFFEE, MINT, FIGS, MULBERRY…FIRM TANNINS ANF LOG FINISH, VERY ENJOYABLE AND YUMMIE!

WE FINISHED WITH 1950, 1955, 1960 VINTAGE PORTS…ALREADY NOTED AN EVOLUTION IN COLOUR, BUT, THE ESSENTIAL STILL THERE…ELEGANCY, COMPLEXITY, SOFT TANNINS AND SOME PERSISTANCE AT THE END.

FINNALY, THE CASK Nr. 33…A VERY OLD BLEND USED TO REFRESH SOME OLD TAWNYS FROM A SINGLE CASK. STILL CLOSED ON THE COLOUR WITH GREAT EXUBERANCE OF AROMAS AND AN INCREDIBLE STRUCTURE…SEEMS LIKE A YOUNG PORT! WELL KEPT AT SANDEMAN LODGES.

OS PORTO VINTAGE DA D. ANTÓNIA FERREIRA

LUIS SOTOMAYOR (ÉNOLOGO DA SOGRAPE)

O FAMOSO PORTO VINTAGE PERTENCE AO GRUPO DOS VINHOS DO PORTO DE CURTO ESTÁGIO EM MADEIRA E UMA LONGA MATURAÇÃO EM GARRAFA. SÃO UMA RARIDADE, POIS REPRESENTAM UMA PERCENTAGEM MUITO PEQUENA DA PRODUÇÃO TOTAL DESTE TIPO DE VINHO. QUANDO A COLHEITA É DE QUALIDADE EXCEPCIONAL DECIDE-SE GUARDÁ-LA INTACTA, ESTAGIA DOIS ANOS EM MADEIRA E PROSSEGUE O SEU LONGO ENVELHECIMENTO EM GARRAFA POR REDUÇÃO.

O PORTO VINTAGE DECLARADO DEVE ESTAR EM EQUILÍBRIO COM A FRESCURA E É SEMPRE, POR DEFINIÇÃO, UM VINHO DE QUALIDADE EXCEPCIONAL, SENDO A SUA COMPRA DE GRANDE FIABILIDADE. NO ENTANTO, A COMPLEXIDADE DESTE VINHO VAI AO PONTO DE NINGUÉM ASSEGURAR QUE EM DETERMINADO ANO POSSA PRODUZIR UMA COLHEITA DECLARADA ATÉ QUE O VINHO NÃO ESTEJA NA SUA SEGUNDA PRIMAVERA, TENDO PASSADO JÁ DOIS INVERNOS E UM VERÃO EM BALSEIROS.

NESTA PROVA COMENTADA POR LUIS SOTOMAYOR PROVAMOS VINTAGES NOVOS DE IDADE INTERMÉDIA E MUITO VELHOS:

PORTO FERREIRA QUINTA DO PORTO VINTAGE 2017, FERREIRA VINTAGE 2016 VINHAS VELHAS, FERREIRA 2016, 2011, 2007, 1966, 1952, 1934, 1863.

EM TERMOS DE COR OS VINTAGES NOVOS OFERECEM UM OPACO, VERMELHO PÚRPURA COM REFLEXOS VIOLÁCEOS, NO NARIZ IMPÔEM A SUA COMPONENTE AROMÁTICA, ELEGÂNCIA E INTENSIDADE…SOBRESSAI AS NOTAS QUENTES DO ALCÓOL, FRUTA, ESPECIARIA E CACAU. NA BOCA TEM UM ATAQUE QUENTE E DOCE, ESTRUTURA TANINOSA QUE É SUAVIZADA PELA DOÇURA NATURAL E ALCÓOL QUE TRANSMITE FRESCURA E LHE CONFERE ACIDEZ.

EM TERMOS DE COR OS VINTAGE DE IDADE INTERMÉDIA DENOTAM UM VERMELHA GRANADA, EVOLUINDO PARA VERMELHO CLARO COM REFLEXOS DE COR DE TELHA/ÂMBAR. NO NARIZ APRESENTA-SE MENOS IMPETUOSO EMBORA SUSTENTE MAIOR CONJUGAÇÃO ENTRE O ALCÓOL, FRUTA E MADEIRA. FRUTO MADURO, COM NOTAS DE LICOR E PASSAS. NA BOCA TEM RIQUEZA ALCÓOLICA, VOLUME, DOÇURA QUE EVOLUEM PARA NOTAS DE ESPECIARIAS, CEDRO, TOSTADOS…É REDONDO, HARMONIOSO E AVELUDADO.

OS VINTAGES MUITO VELHOS POSSUEM UM VERMELHO/AMBÂR, BASTANTE TRANSLÚCIDO COM LEVES REFLEXOS ALARANJADOS. NO NARIZ POSSUEM MUITA COMPLEXIDADE AROMÁTICA, AROMAS FINOS E QUENTES…COM NOTAS DE FRUTA MACERADA EM LICOR (FIGOS, PASSAS), SOBRESSAEM NOTAS DE REDUÇÃO, ESPECIARIAS, CEDRO E RESINA. NA BOCA SÃO MUITO AVELUDADOS, MANTÊM UM PALADAR AMPLO COM UMA DOÇURA QUE NÃO ENFASTIA E EM QUE SE HARMONIZAM AS ESPECIARIAS E AFRUTA EM COMPOTA. NO RETROGOSTO SOBRESSAI NOTAS DE AMÊNDOAS TORRADAS, FRUTOS SECOS…MANTÊM UMA EXCELENTE CONCENTRAÇÃO E BOA ESTRUTURA CONFERINDO UMA PERSISTÊNCIA LONGA.

PORTOS “JURÁSSICOS”

BENTO DE AMARAL E PAULO CRUZ PROVOCARAM O “EXTÂSE” COM UMA PROVA EM CRESCENDO, ONDE EM DETERMINADOS MOMENTOS, TEMOS DIFICULDADE EM ASSIMILAR O QUE É SURPREENDENTE…COMBINAÇÃO PERFEITA, ESCOLHAS CERTAS, VINHOS REQUINTADOS…COM OXIDAÇÃO, REDUÇÃO, CHEIOS DE SABOR, CARÁCTER, VOLUME, DENSIDADE ELEGÂNCIA E FRESCURA.

BENTO DO AMARAL DEU UMA AULA DE CULTURA DE VINHO DO PORTO E CLASSIFICOU OS VINHOS EM PROVA (10), COM NOTAS ENTRE 19 E 20 PONTOS.

BURMESTER RESERVA NOVIDADE 1890 (ENG. 1972): FOI UM EXCELNTE ANO DO SEC XIX, 20 COMPANHIAS DECLARARAM-NO COMO VINTAGE. ESVERDEADO NA COR COM UM GLICEROL QUE TEIMAVA EM AGARRAR-SE AO COPO…MUITO EXUBERANTE NO NARIZ COM NOTAS DE AÇUCAR MASCAVADO QUEIMADO, NOTAS DE FUMO, FARMÁCIA E CAFÉ. NA BOCA ERA DENSO, EQUILIBRADO E MUITO COMPLEXO…FIGOS EM CALDA DE MEL, AVELÃS TORRADAS, CAFÉ, NOZES CARAMELIZADAS…INTERMINÁVEL. UM PORTENTO.

NIEPOORT COLHEITA 1912: UMA HOMENAGEM A ROLF NIEPOORT (PAI DO -DIRK), PORQUE FOI ELE QUE O ENGARRAFOU EM 1972. AMBÂR/ESVERDEADO, NOTAS DE FUMO, FRUTO SECO TORRADO, CAFÉ, XAROPE PARA A TOSSE, ALCAÇUZ, MEL E ESPECIARIAS…NA BOCA TINHA AMEIXA E FIGO SECO, BAUNILHA, MUITO DELICADO E ELEGANTE. FINAL LONGO E PERSISTENTE. UM DOS MELHORES ANOS DO SEC XX E UM COLHEITA CLÁSSICO DA NIEPOORT, A PAR DO 1900, 1908, 1934,1935.

GRAHAM´S VINTAGE 1945: LEVOU NOTA 20 DO BENTO DE AMARAL. TODA A PRODUÇÃO DESTE ANO FOI ENGARRAFADA EM PORTUGAL, PEQUENA PRODUÇÃO CERCA DE 115 PIPAS. É UM VINTAGE CLÁSSICO, FOI UM ANO DECLARADO PELA MAIORIA DAS COMPANHIAS DE VINHO DO PORTO.

OS VINTAGES DA GRAHAM´S SÃO CONHECIDOS PELA SUA COMPLEXIDADE, DOÇURA, OPULÊNCIA E EQUILÍBRIO.

OLD TAWNY, ELEGANTE NO NARIZ COM O PERFIL GRAHAM´S (MINT, EUCALIPTO, AROMAS FLORAIS, CRAVO DA ÍNDIA…BOCA EQUILIBRADA TANINO/ACIDEZ, ALPERCE, ARMAGNAC…HARMONIOSO E SABOROSO, TOFEE, CAFÉ, AMORAS E FARMÁCIA SÃO OS INGREDIENTES PARA UM COCKTAIL FABULOSO E INTERMINÁVEL. TOP

WARRE´S 1977, DOW´S 1963 E GRAHAM´S 1970…SIMBOLIZAM UMA TRILOGIA PERFEITA DE 3 ANOS CLÁSSICOS DE ESTRUTURA, TANINO, COMPLEXIDADE, FRESCURA, ELEGÂNCIA E PODER DE ENVELHECIMENTO.

TODOS ELES BASTANTE AGRADÁVEIS, MUITO RICOS NA BOCA , GRANDE EXUBERÃNCIA AROMÁTICA E COM POTENCIAL DE ENVELHECIMENTO.

+ 150 ANOS VINHO FINO DO DOURO…INDISCRÍTIVEL! SÓ PROVANDO PODEMOS TER A NOÇÃO DE AMPLITUDE, VOLUME DE BOCA , DENSIDADE, FRESCURA E ACIDEZ INTERMINÁVEIS DESTE NÉCTAR DURIENSE, ESQUECIDO DENTRO DE UMA PIPA…MAS MUITO BEM CONSERVADO. UM HINO AO VINHO DO PORTO.

OS VINHOS DE CARCAVELOS DO MARQUÊS DE POMBAL

TEMPOS HOUVE EM QUE OS VINHOS DE CARCAVELOS DISPUTARAM A PRIMAZIA DA QUALIDADE DOS GENEROSOS PORTUGUESES. NASCIDO ÁS PORTAS DE LISBOA, NUMA ZONA QUE CIRCUNDAVA CARCAVELOS E QUE ERA POVOADA POR QUINTAS, CHEGOU, NO SÉC. XVIII, A TER FAMA ALÉM FRONTEIRAS E A DISPUTAR AO PORTO A GLÓRIA DO RECONHECIMENTO MUNDIAL.

A HISTÓRIA DO VINHO DE CARCAVELOS ENCONTRA-SE INDISOCIALVELMENTE LIGADA Á FIGURA DO MARQUÉS DE POMBAL. PROPRIETÁRIO DE UMA QUINTA EM OEIRAS, ONDE PRODUZIA VINHO – A CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO ATINGIA AS 900 PIPOAS POR ANO.

 

 

O MARQUÊS DE POMBAL PROCUROU POR TODAS AS FORMAS DAR RELEVO AO SEU VINHO E CHEGOU MESMO A ACONSELHAR O LOTEAMENTO DO VINHO DO PORTO COM VINHO CARCAVELOS, PARA O QUE VENDIA 250 PIPAS ANUALMENTE Á ENTÃO DESIGNADA COMPANHIA GERAL DA AGRICULTURA DOS VINHOS DO ALTO DOURO.

A FAMA DOS CARCAVELOS CHEGOU A INGLATERRA NO INICÍO DO SEC. XIX, A ESTA FORMA NÃO FOI ESTRANHA A PRESENÇA NA REGIÃO, DURANTE AS INVASÕES FRANCESAS, DE ARTHUR WESLESLEY, FUTURO DUQUE DE WELLINGTON.

O CARCAVELOS ERA UM GENEROSO DE MUITA QUALIDADE QUE RAPIDAMENTE FEZ AS DELÍCIAS DOS SÚBDITOS DE SUA MAJESTADE, QUE O DENOMINAVAM DE ” LISBON WINE”.

 

A PRIMEIRA GRANDE MACHADADA NO CARCAVELOS FOI DADA PELA PRAGA DO OÍDIO, EM 1852 E O GOLPE QUASE MORTAL FOI DADO PELA FILOXERA, EM 1876. DESTRUÍDOS OS VINHEDOS, A RECONSTRUÇÃO FOI LENTA MAS, AINDA ASSIM, ERA POSSÍVEL NOS ANOS 30 ENCONTRAR UMA PRODUÇÃO QUE RONDAVA OS 40 MIL LITROS/ANO.

A PRESSÃO URBANA VOLTOU A FAZER MOSSA NAS VINHAS DE CARCAVELOS E AS QUINTAS FORAM TRANSFORMADAS EM APARTAMENTOS E VILLAS DE SABOR BURGUÊS. ALGUMAS QUINTAS ESTIVERAM EM RELEVO, NO PANORAMA LOCAL – QUINTA DO BARÃO E QUINTA DA BELA VISTA…NESSA ALTURA O SABER E MESTRIA DESSES NECTÁRES ESTAVAM ENTREGUES Á ENOLOGIA DO ENG. MANUEL VIEIRA.

A QUALIDADE E ORIGINALIDADE DOS VINHOS DE CARCAVELOS FEZ QUE FOSSE DENOMINADA DOC EM 1908 A PAR DOS VINHOS DE COLARES E VINHOS MADEIRA.

A VINIFICAÇÃO DOS VINHOS DE CARCAVELOS SEGUE DE PERTO A TECNICA USADA PARA A PRODUÇÃO DE GENEROSOS, MAS, NÃO POUCAS VEZES, O MOSTO ERA DEIXADO A FERMENTAR ATÉ O VINHO FICAR SECO, SENDO O GRAU DE DOÇURA DADO PELA ADIÇÃO DE UM ABAFADO (MOSTO AO QUAL SE ACRESCENTAVA AGUARDENTE). A AGUARDENTE USADA HOJE EM DIA PARA O BENEFÍCIO DOS VINHOS DE CARCAVELOS É DA LOURINHÃ. A GRADUAÇÃO ALCOÓLICA SITUA-SE ENTRE OS 16º-18º, SEMPRE FORAM, POR ISSO, VINHOS DE SOBREMESA, ESPECIALMENTE APRECIADOS PELA ELEGÂNCIA E FRESCURA DE AROMAS, AUTÊNTICOS VINHOS DE CHEIRO.

AS CASTAS HOJE EM DIA UTILIZADAS NO VINHO DE CARCAVELOS, SÃO BRANCAS (GALEGO DOURADO, ARINTO E RATINHO).

NA COR, SITUAM-SE ENTRE O DOURADO E O CASTANHO ÂMBAR, AROMAS RICOS EM FRUTOS SECOS, FUMADOS. NA BOCA TEM FRESCURA, ELEGÂNCIA, BOA ACIDEZ, SALINIDADE E PERSISTÊNCIA…NOTANDO-SE ALGUMA SECURA NO FINAL.

 

 

APRESENTAÇÃO DE TRUFAS DE CHOCOLATE PRETO ORIUNDO DE SÃO TOMÉ E PRINCÍPE, PELA D. ODETE “CHOCOLATIER”… PAIRINGS DE GRANDE QUALIDADE COM TRÊS CARCAVELOS.

NOS NOSSOS DIAS A CÂMARA DE OEIRAS LANÇOU UM PROJECTO E UMA MARCA DE VINHOS DE CARCAVELOS – VILLA OEIRAS!

NA COORDENAÇÃO CONTA COM O ARQ. ALEXANDRE LISBOA E NA ENOLOGIA COM O PEDRO SÁ, QUE TEM UM PERCURSO NO VINHO DO PORTO, NOMEADAMENTE NA BURMESTER E QUINTA DA VISTA ALEGRE. OS CARCAVELOS RENASCERAM NOVAMENTE E JÁ SE PROVAM VINHOS DE GRANDE QUALIDADE COMO É O CASO DO 7 ANOS E 15 ANOS…AMBOS JÁ SE ENCONTRAM NO MERCADO NACIONAL. O COLHEITA DE 1997 (AMOSTRA DE CASCO) JÁ DENOTA O POTENCIAL DO QUE SERÁ O FUTURO DESTES VINHOS…SIMPLESMENTE FABULOSO! ENVELHECIDOS EM CARVALHO PORTUGUÊS E AMERICANO DE TOSTA MÉDIA E FORTE, POSSIBILITA A ESTE VINHOS UM ENVELHECIMENTO DISTINTO, COMPLEXO E “SUI GENERIS”.

OS VINHOS DE CARCAVELOS NÃO SÃO DE MANEIRA NENHUMA UM PARENTE POBRE DOS VINHOS GENEROSOS PORTUGUESES…O VINHO DO PORTO E MADEIRA QUE SE CUIDEM!

MOSCATEL GALEGO BRANCO DOURO MUITO VELHOS

PARA QUANDO UMA DOC MOSCATEL DE FAVAIOS?

COM UMA REGULAMENTAÇÃO…SUJEITA A UM RIGOROSO CRITÉRIO DE CERTIFICAÇÃO COM UMA APRECIAÇÃO ORGANOLÉPTICA EFECTUADA POR UMA CAMÂRA DE PROVADORES. ERA CRIADA PARA PROTEGER UM PRODUTO EX LIBRIS NA REGIÃO.

SÃO VINHOS GENEROSOS MUITO ESPECIAIS, ELABORADOS EXCLUSIVAMENTE A PARTIR DA CASTA MOSCATEL GALEGO BRANCO (MOSCATEL DE FRONTIGNAN OU MOSCATEL MENUDO )…MOSCATEL DE BAGO MIÚDO!

SÃO AUTÊNTICAS JOÍAS DA COROA E É INCOMPREENSÍVEL O FACTO DE SEREM DESCONHECIDOS DA MAIOR PARTE DOS CONSUMIDORES. É DELICADAMENTE PERFUMADO, FLORAL E TORNA-SE COMPLEXO E INTENSO E POSSUI UM SABOR SUI GENERIS.

TANTO PODE APRESENTAR UMA COR PÁLIDA E DESMAIADA COMO O MAIS PROFUNDO DOS CASTANHOS.

ORIUNDO DA ZONA PLANÁLTICA DE FAVAIOS E ALIJÓ (600 M DE ALTITUDE), NA TRANSIÇÃO DO XISTO PARA O GRANITO, PORQUE SÃO ESTES TERRENOS FRESCOS QUE FAVORECEM O SEU DESENVOLVIMENTO.

OCUPA GERALMENTE ÁREAS DE VINHA DE LETRA E E F, ZONAS DE MENOR QUALIDADE PARA A PRODUÇÃO DO VINHO DO PORTO. É UMA CASTA RECOMENDADA PARA A SUA PRODUÇÃO E COMO TAL, TEM DIREITO A BENEFÍCIO (A SER TRANSFORMADO EM VINHO DO PORTO). PARA OS LAVRADORES DURIENSES, ESTE VINHO REPRESENTA UMA IMPORTANTE MAIS VALIA PARA O SEU RENDIMENTO AGRÍCOLA.

VINHOS MADEIRA VELHOS

O VINHO DA MADEIRA É UM DOS VINHOS GENEROSOS NACIONAIS MAIS PARADOXAIS

AO LADO DE GARRAFAS ÚNICAS QUE CONTÊM VINHOS DE RAÇA E CARÁCTER INCOMPARÁVEIS, FEITAS A PARTIR DE CASTAS NOBRES E COM A SABEDORIA DE SÉCULOS, PODEMOS ENCONTRAR O MAIS SIMPLES VINHO CARAMELIZADO QUE SE DESTINA NA PERFEIÇÃO PARA MOLHOS CULINÁRIOS.

DESDE 2015 A TINTA NEGRA FAZ PARTE DAS CASTAS NOBRES DA ILHA , A PAR DA MALVASIA, BOAL, VERDELHO E SERCIAL.

OS FRASQUEIRAS QUE OSTENTAM SEMPRE O ANO DE COLHEITA E ESTAGIARAM PELO MENOS 20 ANOS EM “CANTEIROS”, DEPOIS DE ENGARRAFADOS SÃO INFINITOS, INTEMPORAIS E INDESTRUTÍVEIS. ESTE É TALVEZ O EXEMPLO DE VINHO MAIS ROBUSTO DO MUNDO, DEPOIS DE PASSAR 20 OU MAIS ANOS EM AMBIENTE QUENTE E OXIDATIVO…NADA LHE PODERÁ FAZER MAL.

OS VINHO MADEIRA APRESENTAM-SE DESDE O DOURADO ATÉ AO CASTANHO ESVERDEADO, OS AROMAS, VÃO DESDE A SIMPLICIDADE ATÉ À SUMPTUOSIDADE...AROMAS DE FRUTOS SECOS, FRUTOS FRESCOS, RANÇO, IODO, TABACO, CAFÉ,CHÁ, CACAU…O SABOR VAI DESDE O SECO, SALGADO, SALINO, EXTRAODINÁRIA ACIDEZ, BROA DE MEL, CACAU, CAFÉ, FRUTOS SECOS, MEL…

SE EXISTEM VINHOS CLÁSSICOS Á FACE DA TERRA, O VINHO DA MADEIRA É CERTAMENTE UM DELES, PERTENCE AO GRUPO DE VINHOS GENEROSOS ONDE A MAGIA VISITA MUITAS VEZES O CONTEÚDO DA GARRAFA.

PRODUZIDO COM DIFERENTES GRAUS DE DOÇURA A PARTIR DE CASTAS NOBRES SECULARES…É UM VINHO CONTROVERSO QUE NOS MELHORES EXEMPLOS MOSTRA-NOS TODO O EXOTISMO E BELEZA PARADISÍACAS DA ILHA QUE LHE DÁ O NOME E A TERRA ONDE NASCE.

DESTAQUES PARA OS SEGUINTES VINHOS:

BLANDY´S 50 ANOS MALVASIA, COR ÃMBAR, LAIVOS ESVERDEADOS, NOTAS DE MADEIRA, FRUTOS CITRÍCOS SECOS, PÃO TORRADO “PAIN GRILLÉ”, MADRESILVA, UVA PASSA AVELÃS E NOZES. NOTAS SALINAS NO FINAL, FRESCO E MINERAL, COMPLEXO E SEDUTOR, FORAM ENGARRAFADAS 800 GFS…ACIDEZ 7,93 E BAUMÉ 4,1. UM EXCELENTE MALVASIA.

H.M.BORGES MALVASIA + 50 ANOS AMOSTRA DE CASCO, ENVELHECIDO EM CARVALHO PORTUGUÊS, TOPÁZIO ACASTANHADO, COM REFLEXOS ESVERDEADOS, MUITO ENCORPADO E EXUBERANTE, RICO EM AROMAS DE CASCO, AMENDOAS TORRADAS, E BAUNILHA. LIMPO NA BOCA, ELEGANTE…ACIDEZ E CORPO BEM CONJUGADOS, TANINOS FIRMES. GRANDE VINHO, VAI MELHORAR NA GF E VAI-SE TORNAR GRANDIOSO.

HENRIQUES E HENRIQUES BUAL 1954, MOGNO ESCURO COM LAIVOS ESVERDEADOS, NARIZ MUITO COMPLEXO COM NOTAS DE MARACUJÁ, FUMADOS, AÇUCAR MASCAVADO, AUSTERO, AGRI-DOCE, CASCA DE LARANJA CARAMELIZADA MEL E FRUTOS SECOS. UMA BOMBA, SIMPLESMENTE INESQUÉCIVEL.

BLANDY´S SERCIAL 1940, UM PORTENTO! SALINO, SALGADO…ALOE VERA, CITRÍCO, LARANJA CONFITADA, AUSTERO COM UMA ESTRUTURA DE BOCA FANTÁSTICA. ENTRANHOU-SE PELAS GENGIVAS E ESPALHOU-SE PELAS PUPILAS GUSTATIVAS. SECURA E SALINIDADE DEFINEM ESTE GRANDE SERCIAL.

PEREIRA DE OLIVEIRAS VERDELHO 1905E A CASA VEIO ABAIXO! ACIDEZ 9,96, EXTRACTO DE SECO 102,1, ACUCAR TOTAL 69. UM DOS MELHORES VERDELHOS QUE JÁ PROVEI NA MINHA VIDA. COR MOGNO COM LAIVOS ESVERDEADOS, NARIZ COM NOTAS DE RANÇO, XAROPOSONOTAS DE CARNE COZIDA. ALGUMA DOÇURA PARA UM VERDELHO, BOCA FRESCA, COM NOTAS DE LARANJA CARAMELIZADA E AÇUCAR MASCAVADO QUEIMADO. EQUILIBRADO E PERSISTENTE…ESTE É DAQUELES VINHOS QUE NUNCA QUEREMOS QUE ACABE NO COPO. BOOOOM!!!!

TRATAMENTO LUNÁTICO DE UM ASSUNTO POÉTICO…

CHAMEM-LHE CAPRICHO, FANTASIA, ESPECTÁCULO, BURLESCO OU PARÓDIA

Este é o meu Extravaganza, nasceu em 2001 e o que era para ser realizado por uma só vez…tornou-se um hábito e já vai na 7ª Edição após um interregno de 12 anos.

Foi realizado em pleno Centro Histórico de Sintra, no Palácio Valenças…Sala da Nau. Posteriormente , a partir de 2017 é realizado no magnifico Palácio de Seteais, o local perfeito para se provar vinhos fortificados ancestrais.

Já passaram por Sintra algumas ou a maior parte das grandes individualidades ligadas ao Vinho do Porto, Madeira, Moscatéis e Carcavelos.

Simples Mortais ou “Jurássicos” como: Rolf Niepoort, Dirk Niepoort, Christian Seely, Antonio Agrelos, Carlos Agrelos, David Guimaraens, Nick Delaforce, Peter Symington, Charles Symington, Paul Symington, Manuel Silva Reis, Predro Silva Reis, Dr. Falcão Carneiro, Miguel Côrte Real, Jaime Costa, Pedro Sá, George Sandeman, Luis Sotomayor, Ana Rosas, Jorge Rosas, José Vigário, Ana Urbano, José Teles, Antonio Vasques de Carvalho, Coimbra de Mattos, Bento Amaral, Maria Borges Ricardo Diogo, Pedro Garcias, Alexandre Lisboa, Domingos Soares Franco…

Seis Provas de assinatura, combinadas com uma selecção criteriosa dos melhores fortificados do Mundo…e que até são Portugueses! compuseram a 7ª edição do Porto Extravaganza 2020.

Uma oportunidade para as pessoas terem uma experiência única recheada de emoções e que possibilita a quem lá esteve, sair com memórias marcantes e inesquecíveis.

Espera-nos aí, de facto, uma viagem imersiva no tempo e no espaço, um regresso ao passado e ao imaginário de um Douro extravagante – e que dá sentido ao título do evento.